segunda-feira, 19 de abril de 2010

Não Julgue Pelas Aparências


Antônio, um pai de família, um certo dia, quando voltava do trabalho, dirigindo num trânsito bastante pesado, deparou-se com um senhor que dirigia apressadamente. Vinha cortando todo o mundo e, quando se aproximou do carro de Antônio, deu-lhe uma tremenda fechada, já que precisava atravessar para a outra pista. Naquela hora, a vontade de Antônio foi de xingá-lo e impedir sua passagem, mas logo pensou: - Coitado! Se ele está tão Nervoso e apressado assim... Vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino, pensando assim, foi diminuindo a marcha e deixou-o passar. Chegando em casa, Antônio recebeu a notícia de que seu filho de três anos havia sofrido um grave acidente e fora levado ao hospital pela sua esposa. Imediatamente seguiu para lá e, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranqüilizou dizendo: - Graças a Deus está tudo bem, pois o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Ele já está fora de perigo. Antônio, aliviado, pediu que sua esposa o levasse até o médico para agradecer-lhe. Qual não foi sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem! (Autor Desconhecido). Precisamos aprender a ver as coisas além das aparências, nem tudo que parece é. Muitas vezes o que conseguimos enxergar são somente maldades dos nossos próprios olhos, enxergamos o que queremos enxergar e interpretamos aquilo que nos convém. Temos que pensar que sempre por trás de uma atitude, existe uma história, um motivo que leva a pessoa a agir de determinada forma. Que Deus nos der a tranqüilidade para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para mudar as que podemos e sabedoria para distinguir entre elas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário